12 de jun de 2009

SÉRIE STRESS 2 (O que acontece com o corpo em stress.)

O que acontece no organismo?

O sistema nervoso recebe informações externas (através dos órgãos dos sentidos) e internas de que algo de novo está acontecendo e uma reação será necessária para adaptação a nova situação.
O cérebro vai fazer a leitura das informações que está recebendo e baseado em suas “experiências”, preparará o corpo para reagir – enfrentar ou fugir (reação de luta e fuga). Todo o corpo participará da resposta ao estressor. As informações serão mandadas, por meio dos nervos e de hormônios.
Os músculos são ativados. As batidas do coração aumentam e as artérias se contraem com mais rapidez, aumentando a pressão arterial para aumentar o bombeamento do sangue, principalmente para os músculos, incluindo coração.
Os sentidos aumentam; audição fica mais sensível e pupilas se dilatam, melhorando a percepção do ambiente, em um estado de mais alerta.
A pele vai ficar mais branca, pois o sangue vai sair da periferia para irrigar melhor os músculos. Este processo também diminui a quantidade de sangramento caso haja alguma escoriação. Os fatores de coagulação também aumentarão. Os poros vão se abrir para suar e resfriar os músculos que se superaquecerão.
Os brônquios se expandem e a respiração se torna mais rápida para permitir uma maior entrada de ar, e maior quantidade de oxigênio.
O sistema digestivo será interrompido, pois toda o sangue e energia serão direcionados para o processo de reação.
Por meio de hormônios a glicose disponível no sangue será impedida de penetrar nas células do corpo, pois estará reservada para o cérebro, que não é capaz de utilizar outro tipo de combustível. Ao mesmo tempo hormônios como a ADRENALINA e CORTIZOL serão liberados na corrente sanguínea para disponibilizar outro tipo de combustível para ser utilizado pelas células do corpo, o colesterol, guardado no tecido adiposo (a gordura do corpo). Outros hormônios serão bloqueados, para evitar determinadas funções, não desejadas para aquele momento, como é o caso do bloqueio da INSULINA, pois é o hormônio que permite a entrada do açúcar para as células.
A tireóide a princípio liberará uma grande quantidade de hormônios, para aumentar a queima de combustível, e logo em seguida será “desligada”.
É por este motivo que o estresse aumenta o nível de colesterol no sangue, bloqueia a produção de insulina e de hormônios da tireóide, e desequilibra a pressão sanguínea.
As reações endócrinas relativas ao sistema de luta e fuga esta intimamente ligada ao sistema imunológico, e funcionam como dois pratos de uma balança. Uma vez que você entra em reação de luta e fuga, o sistema imunológico é desligado.
Então você age e resolve a situação. Consome toda a adrenalina liberada, e seu metabolismo volta ao normal. Não é incomum você precisar de um pequeno descanso. Agora as reações hormonais para luta e fuga serão desligadas, e os pratos da balança se invertem. Por algum tempo o sistema imunológico estará mais ativo, e cuidará de “reparar os danos” após a “luta”. O fígado ainda terá um trabalhinho por algum tempo, limpando todo o ácido lático produzido pelos músculos. Aos poucos os sistemas vão se re-equilibrando; coração, artérias, tireóide, insulina, sistema digestivo, vão voltando ao seu ritmo normal.
Nosso sistema de Luta e Fuga foi formado e aprovado pela mãe natureza, para a preservação do individuo e funciona desta forma. Principio, meio e fim. Uma situação de ameaça acontece; o corpo se prepara, age e resolve a situação de ameaça. Baseado nas experiências ele vai Lutar e/ou Fugir. Esse sistema ainda esta programado para após toda a “batalha”, se auto-curar, recompondo tecidos escoriados e expulsando algum invasor que tenha entrado no corpo durante o período em que a prioridade era sobreviver. Depois da “tempestade” passar, tudo volta ao normal.
Nos dias de hoje, estas situações tem sido uma constante em nossa vida. Não havendo tempo suficiente para o corpo voltar ao estado de equilíbrio.
Os processos que vimos acima são acompanhados de reações de proteção do Sistema Nervoso. Para todo e qualquer evento no corpo a prioridade será SEMPRE a de proteção do sistema nervoso. Este processo é conhecido como Barreira Encefálica. Os eventos químicos deste processo, são os mais estudados e conhecidos. Porém a Barreira Encefálica também é composta de eventos físicos muito importantes, que explicam a razão de muitos dos sintomas que apresentamos quando estamos sob estresse.

Nenhum comentário:

ARQUIVO